De acordo com a ABCF (Associação Brasileira de Combate a Falsificação) o ramo automobilístico é um do setores mais visados, ficando entre as primeiras posições no ranking de falsificações, portanto todo cuidado é pouco.

Uma peça automotiva pirateada, além de prejudicar o desempenho automotivo, podendo trazer complicações que irão demandar um alto custo, também colocam em risco a vida, tendo em vistas que produtos falsificados não atendem as normas técnicas de segurança.

Caso você aplique uma peça falsificada no carro do seu cliente sem que o mesmo saiba, isso irá tirar a credibilidade e confiança da sua oficina mecânica. Uma peça falsificada apesar de inicialmente parecer uma boa ideia pelo preço atrativo, posteriormente pode ter um custo muito alto, como o da vida. Temos sempre que ter responsabilidade e ética, principalmente quando se trata de segurança.

Por isso, preparamos esta matéria para que você não seja enganado no momento que realizar suas compras e fornecer um produto de excelência para seus clientes.

Certificação

Apenas peças automotivas originais apresentam este selo, que deve estar estampado na embalagem. O Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI) e o Instituto da Qualidade Automotiva (IQA) são algumas dessas entidades.

Verifique o número de série

As peças originais apresentam um número único e específico de série em sua superfície, impresso durante a sua produção. O ideal é conferir se esse código é exclusivo. Para isso, faça uma comparação com outras peças do mesmo fornecedor ou procure na Internet o número de série do item.

Aparência

Procure imperfeições no acabamento, marcas de adulteração e falhas de impressão. Além disso, veja se a embalagem apresenta algum tipo de violação.

Nota fiscal

O documento, que é uma das principais garantias de originalidade do item, deve abordar informações como data e local de compra, tipo de produto, modelo, marca e série.

Acabamento

Qualquer erro no acabamento da peça, rebarbas ou imperfeições, por menor que seja, impede sua aprovação pelo padrão de qualidade dos fabricantes.

Peso

Atente-se ao peso do produto. Normalmente peças falsificadas são mais leves.

Embalagem

As embalagens de peças originais devem ter uma impressão perfeita, com selos, código de barras e lote original.

Preço

Desconfie de preços abaixo do mercado. Como os revendedores adquirem as peças de fabricantes por um preço tabelado, dificilmente que o preço seja reduzido tão abaixo da média.

Especialista

Caso ainda fique em dúvida sobre alguma peça ou o seu revendedor não possua a peça que você necessita, peça uma indicação para fornecedores de confiança. O que importa é jamais utilizar itens automotivos falsificados em seu estabelecimento, pois a comercialização desses produtos é crime.

Aplicativos

Diversos fabricantes desenvolveram aplicativos que possibilitam a análise técnica de peças para auxiliar a distinguir uma peça original de uma falsificada. Publicaremos em nosso Instagram na quinta-feira dicas de aplicativos para realizar esta identificação.

Denuncie a falsificação

Para acabar com esse mercado, a ABCF Denúncia tem um portal em que você pode relatar alguma fraude ou falsificação em qualquer estabelecimento comercial ou pela internet. Sua denúncia será mantida em sigilo.

Link de acompanhamento: https://www.dpk.com.br/mecanico-saiba-como-identificar-pecas-automotivas-falsas/trackback/

Comentar:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *